[ editar artigo]

ANÁLISE DE DADOS - O Gráfico de dispersão

ANÁLISE DE DADOS  - O Gráfico de dispersão

         Será que as cegonhas trazem os bebês?

Gustav Fischer, um estatístico da Dinamarca, apresentou em um gráfico a população da cidade de Oldenburg( Alemanha) durante sete anos e o número de cegonhas observadas em cada ano. Mostrando que existe correlação positiva entre o tamanho da população e o número de cegonhas. No entanto, a correlação entre essas duas variáveis não significa uma relação de causa e efeito, é na verdade uma correlação espúria.  Existe na verdade, uma terceira variável, o aumento do fluxo migratório para essa cidade, resultando no aumento do número de casas construídas, e consequentemente das famílias (dos bebês). E como é uma região fria, as casas da época exigiam a presença de uma lareira e uma chaminé. E, nessas chaminés, as cegonhas costumam fazer seus ninhos. Assim, com mais locais para fazer ninhos, a população de cegonhas aumentou. 

                                                     Coeficiente de correlação = 0,94126

Os gráficos de dispersão são usados para examinar a associação ou relação entre duas medidas. Por exemplo: número de crimes versus taxa de desemprego, demanda versus oferta. A medição da relação entre duas variáveis é chamada de coeficiente de correlação. Um valor que varia entre -1 e 1. Valores próximos de zero indicam correlação fraca, e valores próximos de -1 ou +1 indicam correlação forte.

Correlação positiva: As duas medidas crescem na mesma direção. Por exemplo: os preços sobem quando a procura por determinado produto aumenta.

Correlação negativa: Quando uma medida aumenta a outra diminui. Por exemplo: aumento de velocidade e diminuição do tempo.

Correlação nula: quando uma medida cresce ou decresce e a outra varia ao acaso, não existe relação.

 

E de onde vem o mito que os bebês são trazidos pelas cegonhas?

O mito da cegonha foi originado na Alemanha, há vários séculos.

O comportamento natural dessas aves dá uma pista de sua associação com o nascimento de um bebê. Sendo um pássaro migratório, a cegonha branca voaria para o sul no outono e voltaria para a Europa nove meses depois. Geralmente elas poderiam ser vistas em direção ao norte entre os meses de março e abril. Bebês nascidos nesses meses geralmente são concebidos por volta de junho do ano anterior. O solstício de verão, em 21 de junho, é uma celebração que o paganismo associou ao casamento e à fertilidade. Como muitos casamentos aconteceriam nesse tempo, muitos bebês nasceriam por volta da mesma época em que as cegonhas poderiam ser vistas voando para o norte. Está feita a conexão: a cegonha traz o bebê.

 

 

COMUNIDADE CEO DO FUTURO
Zhang Yi Ling
Zhang Yi Ling Seguir

Chinês, estatístico, cientista de dados, coach, apaixonado por educação, curioso, audaz, determinado, trabalha com os números, mas gosta das pessoas ;) #sevocepodesonharvocepoderealizar

Ler conteúdo completo
Indicados para você