[ editar artigo]

COACH CARTER

COACH CARTER

 

Esses dias assistir um filme que retrata basicamente sobre disciplina, fala sobre a história, baseada em fatos reais de Ken Carter que foi do time de basquete de Richmond e chegou à seleção em 1972.

O filme começa com o atual time de Richmond sendo derrotado pelo St Francis, e o time perdedor começou a brigar no vestiário para ver de quem era a culpa daquele fracasso. Uma clara visão de que aquele não era um time unido e nem tampouco treinado para vencer. E é nesse cenário caótico que o treinador White convida Carter para assumir o seu lugar e mudar essa realidade.

Carter começa o treinamento disciplinando aqueles jovens, impondo uma série de regras:

1 – O treino começa às 15h00.

2 – Todos devem ser tratados como senhor, um termo de respeito.

3 – Todos devem assinar o contrato com os termos que devem ser seguidos se quiserem ter sucesso. Uma das cláusulas diz que devem manter uma média de 2,3 nas notas escolares, assistir todas as aulas e sentar nas mesas da frente.

4 – Se houve atrasos para chegar no treino, todo o time terá que correr ou se houver atitudes de desrespeito para com o treinador, todos terão que fazer exercícios a mais de flexão.

Até o seu próprio filho que está na St Francis, melhor escola para se estudar até então, quis ser transferido para Richmond e jogar no time de basquete treinado pelo pai. A firme decisão, fez o pai aceitar a proposta. E disse ao filho:

Amadurecer é tomar suas próprias decisões e aguentar as consequências.

A disciplina ajuda os jovens a praticar hábitos bons, e ter uma rotina extraordinária que gera frutos no desempenho dos jogos.

Eu identifiquei que o treino que o carter dá aos jovens é um treino para a vida, um treino de mudança de mindset. Uma transformação de vida dos jovens, onde estão rodeados por um ambiente de crimes.

Todos possuem deveres e obrigações, pois nada é de graça e transgressões resultam em penalidades. Também destacou a importância quanto a forma de falar e se vestir, fazendo com que eles se vissem de uma forma melhor. E, principalmente, mostrou como cada um é responsável pelos seus próprios atos.

E toda aquela punição de correr (chamado suicídio no basketball), e flexão, na verdade estava treinando fisicamente o time. Ao mesmo tempo que o disciplinava. E educava para seguir regras estritamente com punição se não for assim.

Carter diz aqueles jovens que a partir de hoje jogarão e agirão como vencedores. E o mais importante é que serão vencedores. Se ouvirem e aprenderem, começarão a ganhar os jogos. E vencer aqui é a chave para vencer lá fora. Um comportamento de campeão. E não mais de moleque. E aqui vemos um elemento do empoderamento e eliminação de crenças limitantes.

Carter levanta algumas questões:

Como devemos lidar com a gestão de pessoas com diferentes visões?
Como encarar desafios que parecem fadados ao fracasso?
Qual o melhor caminho e direção para transformar esta realidade e alcançar o sucesso?

E toma uma atitude radical para salvar aqueles jovens que não estavam indo a aula e os que iam estavam desempenhando aquém do esperado. Deu foco e prioridade para eles melhorarem essas notas. Afinal, é através do estudo que aqueles jovens da zona de vulnerabilidade, poderiam ter uma chance de sucesso na vida e ser alguém diferente de um criminoso e morrer pelo crime.

Com o excelente trabalho e impacto positivo na vida dos jovens, abaixo eu transcrevo o que eles falaram para o treinador Carter:

 

Nosso maior medo não é de sermos rejeitados. Nosso maior medo é de sermos poderosos além da compreensão. O que mais nos assusta é a nossa vida e não a escuridão. Não devemos nos encolher e sermos submissos para que gostem de nós. Devemos brilhar como as crianças. Isso está dentro de todos e não apenas de alguns. E brilhando, faremos com que outras pessoas sigam nosso caminho, pois nos libertaremos dos nossos próprios medos. Nossa presença automaticamente libertará os outros. Senhor, eu só quero dizer obrigado. Você salvou a minha vida.

Em suma, o filme retrata o trabalho em equipe, educação, desenvolvimento humano, empatia, e persistência. 

Você pratica algum esporte? Os efeitos dele reverberaram em outros campos da sua vida? Comentem abaixo :) 

 

TAGS

coach

COMUNIDADE CEO DO FUTURO
Zhang Yi Ling
Zhang Yi Ling Seguir

Chinês, estatístico, cientista de dados, coach, escritor, apaixonado por educação, curioso, audaz, determinado, trabalha com os números, mas gosta das pessoas ;) #sevocepodesonharvocepoderealizar

Ler conteúdo completo
Indicados para você