[ editar artigo]

Eu 2030 - T36 - Grupo 4

Eu 2030 - T36 - Grupo 4

Para mim há oito anos...

 

Estou aqui de um futuro não tão distante para falar um pouco como anda a vida, e um pequeno spoiler, ela continua difícil.

 

As viagens, e não só as viagens, que você programou deram todas erradas, pois ''a única certeza que você tem quando vai fazer um planejamento é que ele vai dar errado''. Mas no final deu certo, afinal, eu estou aqui escrevendo. 

 

Eu, ou você ou nós, continuo gostando de ler, passou os anos e ainda aprendo sobre literatura, afinal, o processo de aprendizagem é eterno. Mas não nego que sinto falta da inocência de ler igual uma criança de dez anos, tudo era mais simples, era preto ou branco, agora é tudo preto, branco e mais várias tonalidades diferentes de cinza, isso é o que chamamos de ''amadurecimento''? Assim como você, ou eu ou nós, ainda não sei essa resposta.

 

Sobre o trabalho, aquele lugar escuro, estranho e exigente que sempre me assustou, bom, continua sendo um lugar escuro, estranho e exigente que me assusta, mas aprendi a lidar com isso. Eu tive sorte de encontrar pessoas maravilhosas, pacientes e que souberam lidar comigo, óbvio que nem todas as pessoas foram assim, o mundo real não é o mundo maravilhoso que é a Terra do Nunca, não existe um pó mágico que faz voar e não vivemos eternamente como crianças, entretanto, existe algumas pessoas que são um Capitão Gancho da vida. Mas quando se olha para trás penso que devo focar principalmente nas boas pessoas que fizeram a diferença. 

 

Agora sobre o que eu trabalho, bom, conseguimos mudar de carreira. Não foi algo fácil, afinal, existe alguma coisa fácil nessa vida? Foi árduo, duro e muitas vezes frustrante, mas o tempo livre estudando outras coisas no final foi recompensador, porém eu não nego que também sinto falta de uma visão crítica na teoria hegemônica da Administração, sempre gostei (ou será que é gostamos?) de ser do contra. 

 

Outros curiosidades? Eu já sou fluente em inglês e estou terminando o francês, mas a preguiça (ainda) bate... Com as novas línguas e os intercâmbios meus horizontes se abriram, assim como os seus vão se abrir, e essa busca incessante de anos de ser uma pessoa fora da bolha está rendendo frutos, até fico receoso por lembrar o quão mente fechada eu, ou você ou nós, era nesse tempo. 

 

Sobre os estudos, bom, a ansiedade atacou, sempre atacou, mas eu consegui passar bem do mestrado, por mais que tenha sido um inferno na terra aqueles tempos, como sempre penso nos tempos que eu vivo, sinto falta daquela boa época, assim como sinto falta das outras épocas.

 

Acredito que seja só isso, não irei falar sobre a minha vida amorosa, acho que pelo menos essa em específico você vai ter que viver para saber, pois, assim como o amor é o fogo que arde sem se ver, é a ferida que dói e não sente, ela também é uma morte a ser vivida. E como bem você sabe, a morte não é o fim, não é a salvação, mas sim um novo começo.

 

Desejaria ''boa sorte'' para você, mas se eu estou aqui então quer dizer que você não vai precisar da minha sorte para chegar onde estou. Até daqui oito anos, até lá saiba que sempre tem um amanhã para ser vivido.

Ler conteúdo completo
Indicados para você