A comunidade está de cara nova!
Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

Visão do futuro, uma reflexão de alguém que anda perdida no presente

Visão do futuro, uma reflexão de alguém que anda perdida no presente
Letícia Helena Prochnow
set. 3 - 3 min de leitura
4 Curtidas
1 Comentários
0

A vida é muito louca. Essa foi a frase que a minha colega soltou no meio da nossa conversa acerca do que os futuro guarda para nós. E é verdade, é tudo muito louco, mas essa é só uma maneira de dizer que temos muitas possibilidades e caminhos a trilhar, e muitas vezes desistimos ou aterramos os pés no chão de forma a praticar uma visão mais realista e menos sonhadora de quem podemos ser. Ande com os pés no chão, mas só as pontas. 

Confesso que demorei a desenhar um futuro para mim, foi uma tarefa extremamente complicada, apesar das instruções simples: imaginar a minha vida em 2025. São cinco anos, 1826 dias, 43830 horas. O que eu posso fazer com isso? Poder talvez não seja o verbo certo. O que eu quero fazer com isso? O poder só existe depois do querer, pois a possibilidade de fazer acontecer sou eu quem vou criar, desconstruir, destruir... mas a possibilidade existe. 

A melhor parte de conversar sobre isso com alguém é descobrir que você não sonha sozinha. Muito pelo contrário, é mais fácil se deparar com ideias melhores, futuros mais brilhantes e possibilidades ainda maiores que a sua. Na chamada com os meus colegas do curso encontrei cinco pessoas que apesar de nunca terem se encontrado antes, possuem os mesmos sonhos, anseios, desejos e futuros. Jovens que, como eu, veem o impossível como ferramenta de criação de cenários e de uma vida repleta de novas experiências, aprendizados, responsabilidade e querem seguir impactando o mundo. São engenheiros, advogados, internacionalistas e mesmo assim, com os mesmos propósitos e sonhos aparentemente inalcançáveis. 

Desliguei a chamada com o coração aliviado, inspirada pelas histórias e focada em fazer tudo o que eu quero acontecer. Em cinco anos, quero terminar a minha graduação com tudo que a faculdade me permite ter: conhecimento e vontade de mudar o mundo. Eu vou mudar o mundo, e ninguém faz isso sozinho, mas já conheço pelo menos outras cinco pessoas que também estão sonhando com o mesmo objetivo.

De que maneira eu posso mudar o mundo? Estudando, criando, administrando? A minha ambição precisará de rédeas, e muito planejamento. É preciso saber que tudo é possível, mas que a luta é constante e a resiliência é a chave para o sucesso. Tenho que continuar tentando, quantas vezes necessário. 

No final das contas, o que importa para o leitor dessa reflexão não são os detalhes da visão que tenho do meu futuro, e sim as possibilidades que existem para o nosso futuro, como jovens dispostos a mudar o mundo e fazer dele um lugar melhor. Nós estamos nessa juntos nessa, não deixe de sonhar. 

 


Denunciar publicação
4 Curtidas
1 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você